Sonho de um homem ridículo

  No último sábado, dia 09/05/2009, tive a oportunidade de apreciar uma bonita interpretação de Celso Frateschicapa_40, pra quem não sabe ele já foi secretário municipal de cultura da cidade de São Paulo, durante essa época ele recebeu várias críticas, como aquela que diz que ele acabou com todo o teatro amador da cidade, pois dava suporte exclusivo ao seu projeto “Teatro Vocacional”, também já foi presidente da FUNART e hoje é secretário municipal de cultura em São Bernardo. Alguns podem se lembrar dele como o “anjo” da novela “Beijo do Vampiro”.

  Mas não é por nenhum destes motivos que quero falar sobre Celso Frateschi, mas sim pelo seu grande talento artístico, Frateschi que já teve como mestre Antônio Abujamra, sem dúvida é um grande ator, dotado de uma técnica apurada, ele já figura há muito tempo como um dos grandes atores dos teatros paulistas e brasileiros.

  O Espetáculo “Sonho de um homem ridículo”, é baseado num conto homônimo de Fiodor Dostoiévski, e devo dizer que o texto, nesta peça, sem dúvida é um dos pontos altos, mais um ponto para Frateschi que é responsável pela dramaturgia, que está sendo considerada muito fiel ao texto. A direção fica a cargo de Roberto Lage, e é muito honesta, sem muitas invencionices, o diretor sabe do ator que tem e dá espaço para um monólogo bem acertado, mas a melhor coisa desta direção é como Roberto Lage harmonisa os elementos do espetáculo, o figurino, o cenário, a iluminação estão trabalhando em uníssono para dar todo o suporte a performance e principalmente ao texto.

  O cenário é um espetáculo a parte, composto por pilhas de livros processuais, que vão até o urdimento, um leve papel de parede em tom pastel, e a divisão do palco em três níveis, na verdade são dois níveis e uma porta no centro do nível superior com um quartinho escuro dentro.

  Os elementos de cenas também são bem acertados, excetuando talves uma bacia com água, que fica no chão a esquerda do palco, em alguns momentos a luz que se reflete na bacia é usada para iluminar o rosto do ator, o que dá um efeito interresante, mas já batido e um pouco mal realizado, embora a principal função da bacia seja recolher as gotas que caem de um aparato, que lembra um lustre, e serve pra frisar uma certa constância, alias o irremediável pingar da gota é citado no texto.

  020409_mc1Outro elemento interesante é um painel com uma pintura bem simples, formadas por linhas, que serve de tela para projeções que funcionam principalmente como elemento de iluminação cênica, já que em apenas um momento é projetada uma imagem clara, sendo que no restante do espetáculo, as projeções auxiliam a iluminação a encontrar o tom certo para cada momento e sentimento que o espetáculo queira realizar, alías apesar de ser uma adaptação de conto, sendo uma narração que a personagem nos relata, este espetáculo é bem Aristotélico, ou seja, nós realmente experimentamos uma catarse, sim porque os acontecimentos se sucedem de maneira tão lógica, natural e emocional, que em momento algum conseguimos nos questionar se o que está sendo dito é certo, para nossa sorte a mensagem da peça é uma importante reflexão, e é isto o que fica para nós espectadores ao final do espetáculo, fazer um balanço do que foi dito, já que durante a peça é impossível qualquer análise distanciada.

  Eu particularmente me vi envolvido em um caldeirão de sentimentos, e cheguei a sentir vergonha de minha prepotência e da prepotência de toda a raça humana, não porque eu seja naturalmente prepotente, pelo menos acho que minha vaidade e prepotência estão em um nível aceitável, mas por todo orgulho que temos a nossa lógica e razão e por desprezarmos a boa inocência que reside dentro de nós, esta mesma inocência que esta contida na alma do palhaço.

  Agora segue com vocês a sinopse do espetáculo, informações sobre a montagem e o serviço tais como estão no site do teatro Ágora (http://www.agorateatro.com.br/agorateatro/?page_id=178) :

homem_ridiculoSINOPSE

Peça baseada no conto de Dostoiévski. Segunda metade do século XIX. Um homem do subterrâneo. Cenário e personagem típicos do autor russo, um dos principais narradores da alma humana. Nosso herói sabe que é ridículo desde a infância – motivo de desprezo e zombaria de seus semelhantes- e já não tem mais nenhum interesse na continuação da sua existência. Num dia inútil como todos os outros, em que mais uma vez esperava ter encontrado o momento de meter uma bala na cabeça, foi abordado por uma menina que clamava por ajuda. Ele não só recusa o apoio à criança, como a espanta aos berros. Ao voltar para casa, não consegue dar fim a sua existência. Adormece e sonha. Ele narra como conheceu a verdade em toda a sua glória e mostra como tudo aquilo deve ter sido real, pois as coisas terríveis que sucederam não poderiam ter sido engendradas num sonho.

A MONTAGEM

A adaptação se preocupa em manter o texto original de Fiódor Dostoiévski, que faz parte do livro Diário de um Escritor, publicado pela primeira vez em 1877. Propõe um espetáculo que explora o essencial das questões humanas de Dostoiévski, estabelecendo um diálogo direto com o contemporâneo. Sua arquitetura cênica é construída a partir da rua, do cortiço, do paraíso e do inferno – elementos da obra-, numa composição que sugere o onírico, onde o sentido do sonho é recuperado através do espanto ao colocar em um mesmo plano, o imaginário do contemporâneo e a infância da humanidade. O real e o sonho se justapondo em um diálogo permanente durante o jogo cênico. O ator solitário em cena é uma opção estética inerente ao tema, que aborda a solidão e a sua superação.

FICHA TÉCNICA

Dramaturgia e interpretação: Celso Frateschi
Direção: Roberto Lage
Cenário e figurino: Sylvia Moreira
Corpo: Vivien Buckup
Luz: Wagner Freire
Trilha sonora: Aline Meyer

SERVIÇO

Data: de 03 de abril até 21 de junho
Horário: sexta e sábados às 21h, domingos às 19h
Duração: 75 minutos
Capacidade: 80 lugares
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia-entrada)
Recomendação etária: 12 anos
Localização: Ágora Teatro – Sala Gianni Ratto

  E antes de ir embora vou deixar com vocês o endereço do blog do Frateschi, bem como o conto original de Dostoiévski.

Blog do Celso Frateschi:
http://bravonline.abril.com.br/blog/celsofrateschi/

Neste site você pode ler o conto on-line ou se cadastrar gratúitamente pra poder baixá-lo:
http://www.scribd.com/doc/7331832/Dostoievski-O-Sonho-de-Um-Homem-Ridiculo

Este artigo foi feito por Paulo Carvalho.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: