Archive for novembro \30\UTC 2010

Conceitos básicos de animação

30/11/2010

Não basta saber fazer bonecos se não soubermos como dar vida a eles. Pensando nisso, resolvi dar algumas dicas sobre a manipulação.

Animar vem de ânima que significa alma logo animar é dar vida, dar alma.

Mas o que faz um objeto inanimado ganhar vida? E que fique claro que qualquer objeto pode ganhar vida e se tornar um boneco.

Não adianta movermos o objeto aleatoriamente, se fizermos isso ao invés de criar vida, iremos é chamar a atenção para o manipulador e uma coisa que precisa ficar clara pra quem trabalha com teatro de animação é que o boneco deve aparecer primeiro, o manipular será sempre coadjuvante e em alguns casos até invisível.

Os movimentos devem ser verossímeis e me arrisco a dizer que em certa medida os movimentos devem ser humanos, isso porque um elemento essencial ao teatro é a empatia, precisamos nos reconhecer ou ao menos reconhecer a situação que está em cena.

Claro que uma das coisas bacanas dos bonecos são as possibilidades de fazer coisas impossíveis, como voar, saltar distancias imensas, esbugalhar muito os olhos, etc, mas estes movimentos só funcionam, só ganham expressividade se tiverem uma base de movimentos em que conseguimos acreditar.

Certo, já temos alguns conceitos importantes em mente, mas além disso existem algumas técnicas que facilitam em muito a nossa vida.

Vou lhes falar sobre o que eu chamarei de técnica de três pontos, são eles ponto de gravidade, ponto de visão e ponto pensante.

O ponto de gravidade é quem vai determinar como o boneco se locomove, é o seu centro de gravidade, dele partem todos os movimentos, se observarmos nosso caminhar iremos perceber que o centro de gravidade humano fica mais ou menos  quatro dedos abaixo do umbigo, e quando andamos o nosso centro de gravidade se mantém paralelo ao chão, com os bonecos deve ser igual o centro de gravidade deve guiar a movimentação do boneco e se ele deixar de ficar paralelo ao chão o boneco estará desequilibrado. Aqui eu devo salientar a importância de observarmos o eixo de equilíbrio do boneco que deve se manter reto e perpendicular ao horizonte, devemos ter o cuidado de o boneco não andar inclinado com a cabeça para frente ou para tráz.

Ponto de visão e ponto pensante são respectivamente os olhos e o cérebro do boneco, com isso definido temos a cabeça. O olhar talvez seja a parte mais importante da manipulação, o olhar do boneco é quem determina todas as suas reações, um detalhe importante aqui é sobre foco, o olhar do boneco deve determinar pra onde o público vê, e a primeira coisa que devemos ter cuidado é pra não rivalizar o olhar do manipulador com o do boneco, o olhar do manipulador será sempre mais chamativo que o do boneco e por isso devemos ter absoluto controle pra onde está olhando e ficar com o boneco sempre em vista.

Nenhuma regra é absoluta, e existem situações em que elas devem sim ser quebradas, mas elas são uma boa base de aprendizado e só a experiência vai lhe dizer quando elas devem ser respeitadas ou abandonadas.

Por hora eu fico aqui, como sempre as perguntas devem ser feitas nos comentários.

Até a próxima.

Tutorial: Criação de bonecos – parte 1

23/11/2010

O artigo mais visitado deste blog é de longe  “Tipos diferentes de manipulação”, pensando nisso e com o espírito de compartilhar informações tão presente no mundo open source, resolve iniciar uma série de tutoriais sobre como fazer bonecos de animação.

Já aviso que não pretendo postar isso regularmente, vou postar conforme me der vontade e se tiver algum feadback, se ficar alguma dúvida o espaço de comentários é o canal direto.

Começando:

Antes de se fazer um boneco e decidir de qual tipo será, é importante pensarmos em qual será a sua utilidade. Porque um boneco? Existe uma justificativa dramatúrgica para isso? Alguma pesquisa estética?

Ao responder estas perguntas, você estará não apenas decidindo por um boneco, mas já começa a planejar o visual e linha de interpretação do espetáculo.

Ok, temos um porque, já sabemos que história queremos contar, resta decidir qual técnica será usada, este questionamento em alguns casos são óbvios, muitos bonequeiros são especialistas em uma técnica, mas alguns preferem ir pelo caminho da pesquisa.

Sobre isso há que se fazer algumas considerações. O especialista, domina as minúcias da manipulação daquele tipo de boneco e sem dúvida será mais virtuose do que aquele que não se atém a uma técnica e isto pode ser muito interessante, por outro lado pesquisar diferentes técnicas e até criar a sua própria permite a renovação da arte de animação e aprofunda o entendimento do diálogo palco-platéia.

Esculpindo em isopor:

Uma técnica muito usada na construção de diferentes tipos de bonecos é a escultura em isopor.

O isopor é bom, porque é fácil de ser trabalhado e seu custo é relativamente barato, por outro lado é importante saber que se trata de um produto tóxico cortar o isopor já é toxico, queimá-lo é ainda mais, então é recomendado o uso de máscará de proteção.

Materiais:


Caneta de retro-projetor ou pincel atômico:

Para desenhar no isopor e saber onde cortar.

 

 

 

 

Lixas

Para acabamento e detalhes.

 

 

 

 

Estiletes

É a nossa ferramenta principal, fazemos a maioria dos cortes com ela por isso é bom ter a mão um conjunto de lâminas sobressalentes, pois é importante mantê-la afiada.

Dica: Não assopre o isopor que fica na lâmina pois a saliva oxida e diminui a vida útil da lâmina.

 

 

 

Escova de aço ou pregos

É muito útil para nivelar, aprofundar, arredondar peças grandes.

 

 

 

Serrote

Existem vários tipos com cortes diferentes, serve pra cortar peças grandes.

 

 

 

 

Cortador de isopor

Existem de vários tamanhos tanto para peças grandes até pequenos pirógrafos para detalhes, trata-se de um fio metálico que é aquecido ao receber a passagem de uma corrente elétrica, ao entrar em contato com o isopor o fio o queima permitindo cortes rápidos.

 

 

 

Projeto:

A primeira coisa a ser feita é um projeto das peças que serão esculpidas uma cabeça? duas mãozinhas? para isso façam desenhos, não importa se você é péssimo desenhista a idéia aqui é ajudá-lo a visualizar a peça final.

Perfil:

Depois de ter o esboço da peça é preciso desenhar as vistas superior e lateral da peça, isso o ajudará a ver os excessos de isopor que podem ser cortados.

Dependendo do tamanho da peça e da dificuldade você pode desenhar o perfil diretamente sobre a chapa/bloco de isopor ou criar um perfil em papel.

Depois de cortar fora o excesso já fica bem mais fácil visualizar o boneco, nesta parte o cortador de isopor é muito útil.

Aí então você vai esculpindo as formas e aos poucos dando forma a peça, uma dica boa é sempre usar a caneta de retro quando estiver em dúvida linhas guias também ajudam.

Primeiro você deve esculpir formas brutas, quadradonas conforme for desmistificando a figura vc vai dando detalhes usando a lixa ou dependendo da situação a escova de aço para deixar as formas mais orgânicas.

Depois de esculpido você deve vir com a lixa dando um acabamento em toda a peça.

A parte da escultura termina aqui, o amarelo que vc vê na foto é Poliuretano ou PU sólido que é muito usado para reparos ou juntar peças.

Depois de esculpido vc deve empapelar, dar acabamento em massa ou fibrar (isto será abordado mais profundamente em outro tutorial).

Depois vem a pintura

E aí é curtir os louros.

Retomada

16/11/2010

Olá, já faz muito tempo desde meu último post, muitas coisas aconteceram neste tempo, me casei (nada formal mas na prática dá no mesmo), tornei-me um entusiasta do software livre, e o Projeto 8 acabou.

É uma pena, mas a verdade é que o projeto como evento coletivo artístico nos dava um trabalho absurdo e quase nenhum resultado. Claro as festas em si eram muito bacanas, mas não conseguimos gerar nem a discussão e nem o comprometimento desejado entre os artistas.

Não podemos negar que também aprendemos muito desde questões técnicas de como dispor as luzes das exposições e fazer um bom evento com pouco grana.

Mas todo este bla, bla, bla, só me serve para explicar que estou retomando o blog mas com uma diferença, agora será apenas como um blog pessoal. Sem a pretensão de ser a voz de algum projeto ou um veículo exclusivamente cultural.

Pretendo falar de tudo o que me der vontade sendo arte ou não.

Pra começar e deixar de enrolação e papo chato, vou dar uma dica de outro blog, trata-se do http://blogdodesenhador.blogspot.com/ blog do desenhista Mozart Couto, artista muito conhecido no meio dos quadrinhos e também por seus cursos e manuais de desenhos facilmente encontrados nas bancas de jornal, o detalhe curioso aqui é que ele se utiliza da ferramenta GIMP que é um programa de edição de imagens bitmap gratuito e livre.

O espaço contém muitos tutoriais bacanas desta ferramenta e é uma prova que o software livre estra pronto pra uso gráfico profissional.

Prometo em breve um post mais detalhado sobre software livre o porque estou entusiasmado com este novo universo.

Até semana que vem.