Archive for the ‘Bonecos’ Category

Clip Autobiografia – Kid Cuba

23/05/2011

Um trabalho meu em cima da música do meu pai, tocada pela banda dele (Kid Cuba) com desenhos feito pela minha namorida Malu e manipulados pela Joi!!

Webceleb Brasil

09/01/2011

Novo ano, e finalmente um post novo, ainda sobre bonecos, acontece que está rolando uma promoção bacana chamada Webceleb Brasil e estou participando com este vídeo:

Caso eu ganhe será uma boa oportunidade, mas mesmo se não rolar eu gostaria de saber o que acham de vídeos com bonecos?

Tutorial: Criação de Bonecos – Parte 2

13/12/2010

Dando sequência ao nosso tutorial de forma totalmente ilógica vou dar umas dicas de acabamento.

Da mesma forma que existem muitas técnicas para fazer o boneco, Escultura em madeira, isopor, modelado em argila, etc, também temos muitas formas de acabamento, tais como fibragem, massa corrida, etc.

A primeira coisa a se pensar é onde se usaremos este boneco? no palco? em área externa? ele fica exposto ao tempo?

Com essas questões podemos determinar duas coisas: qual será a resistência do boneco e qual o nível de detalhe exigido.

O primeiro passo para o acabamento de um boneco é o empapelamento dependendo de qual foi o seu material você deve fazer mais ou menos camadas de acordo com a seguinte regra.

Modelado em argila: mínimo de 7 camadas, afinal iremos retirar toda a argila e ficar só com o papel e cola.

Esculpido em isopor: de 1 a 3 camadas dependendo de quanto precisará ser resistente.

Esculpido em madeira: Nenhuma este tipo de boneco tem outro tipo de tratamento, que tem a ver com preparar a superfície, pintar e envernizar, não trataremos deste tipo de boneco aqui.

Espuma: também nenhuma

Para empapelar recomendo que usem papel craft que é um papel bem grosso e dará uma ótima resistência, o processo constitui de molhar o boneco de cola colocar o papel, passar cola por cima, deixar secar e fazer outra camada.

Alguns pontos importantes: não corte o papel com a tesoura rasgue ele em tiras, pois assim um pedaço se cola melhor ao outro;

antes de rasgar amasse bem todo o papel para quebrar as fibras do mesmo;

a cola pode ser diluída em água, o importante é ela ter uma liga boa e não ser muito grossa você testa a liga com os dedos polegar e indicador;

cuidado para não deixar a região muito molhada pois isto enruga o papel e se ficar muito enrugado o acabamento fica horrível, um enrugamento leve chega a desaparecer depois que a cola seca, mas seja atento a isso, evite as rugas;

você pode usar pincel ou a mão pra empapelar eu acho mais fácil com um pincel chato grosso, passo ele na superfície, colo o papel e passo sobre o papel.

Depois de empapelado você pode passar uma lixa fina sobre todo o boneco antes de seguir pra próxima parte, mas em geral isto é desnecessário, ainda mais se você for fibrar a peça.

Uma dica bacana pra quem precisa de uma peça forte e não tem interesse ou paciência pra fibra de vidro é combinar camadas de papel com tecido alternando entre ela e deixando a primeira e a ultima camada em papel, pode usar gaze ou tecido de fralda que fica bom.

Agora temos três opções trabalhar com massa corrida, fibra ou látex.

Massa corrida

É a solução mais simples e barata, você cobre a peça com uma camada fina de massa, deixa secar e depois lixa, primeiro com uma lixa mais grossa e depois uma fina pra pequenos detalhes, pode usar uma lixa entre 80 e 100 pra parte grossa e uma 250 pra detalhes.

Fibra

O mais caro e trabalhoso dos processos, você precisa de resina, manta de fibra e talco indústrial, isto só pra parte essencial, você deve colocar a manta sobre a superfície e com uma broxa ir “carimbando” a peça, já ví pessoas fazerem primeiro uma camada só com resina e depois sim vir com a fibra, mas não sei ao certo qual o melhor opção já que não sou especialista em fibra e só ví o processo sem tê-lo feito diretamente, depois da fibra “carimbada” deixe secar e venha com uma camada de resida misturada com talco industrial, deixe secar e lixe, dependendo você pode mandar a peça direto pra pintura, você já deve ter visto em lojas ou shopping alguns bonecos em que se vê a textura da fibra estes são os que vão direto pra pintura. Outra opção é seguir o trabalho do funileiro e passar primeiro massa plástica lixar e depois massa rápida pra um acabamento mais fino e lixar, aí vc terá um acabamento liso e sem textura.

Látex

O látex também pode ser usado em bonecos de espuma, para isso antes do látex você deve “vedar” a espuma, a fim de não precisar de muitas camadas de látex já que a espuma chupa o látex. Para vedar você deve passar cola de contato em toda a superfície da espuma e deixar secar.

Para o acabamento em látex eu recomendo misturar o látex com tinta acrílica pois o látex puro é muito líquido e quando misturado com a tinta ele ganha “carga” ficando mais pastoso, a medida é 1/3 de tinta para 2/3 de látex, sempre arredonde o látex para mais.

Também podemos colorir esta mistura, bisnagas de pigmento funcionam mas podem danificar o látex o ideal é usar um pigmento não ferroso como algumas anilinas líquidas.

Com a mistura feita passamos o látex sobre a superfície, deixamos secar e repetimos o procedimento até ficarmos felizes com o resultado, cuidado com gotas escorridas pois ficam feias.

O látex quando bem seco não fica grudendo, cuidado com o calor nestes bonecos, eles aguentam um espetáculo de duas horas sobre a luz de teatro mas não tão bem em um porta-mala de um carro sem abrigo do sol em pleno verão.

Depois disso vem a pintura que merece um tutorial à parte e que eu não prometo fazer, pois não é o meu forte, mas vou tentar convencer minha parceira a fazê-lo algum dia, mas antes disso temos muito o que estudar por aqui.

até a próxima.

Conceitos básicos de animação

30/11/2010

Não basta saber fazer bonecos se não soubermos como dar vida a eles. Pensando nisso, resolvi dar algumas dicas sobre a manipulação.

Animar vem de ânima que significa alma logo animar é dar vida, dar alma.

Mas o que faz um objeto inanimado ganhar vida? E que fique claro que qualquer objeto pode ganhar vida e se tornar um boneco.

Não adianta movermos o objeto aleatoriamente, se fizermos isso ao invés de criar vida, iremos é chamar a atenção para o manipulador e uma coisa que precisa ficar clara pra quem trabalha com teatro de animação é que o boneco deve aparecer primeiro, o manipular será sempre coadjuvante e em alguns casos até invisível.

Os movimentos devem ser verossímeis e me arrisco a dizer que em certa medida os movimentos devem ser humanos, isso porque um elemento essencial ao teatro é a empatia, precisamos nos reconhecer ou ao menos reconhecer a situação que está em cena.

Claro que uma das coisas bacanas dos bonecos são as possibilidades de fazer coisas impossíveis, como voar, saltar distancias imensas, esbugalhar muito os olhos, etc, mas estes movimentos só funcionam, só ganham expressividade se tiverem uma base de movimentos em que conseguimos acreditar.

Certo, já temos alguns conceitos importantes em mente, mas além disso existem algumas técnicas que facilitam em muito a nossa vida.

Vou lhes falar sobre o que eu chamarei de técnica de três pontos, são eles ponto de gravidade, ponto de visão e ponto pensante.

O ponto de gravidade é quem vai determinar como o boneco se locomove, é o seu centro de gravidade, dele partem todos os movimentos, se observarmos nosso caminhar iremos perceber que o centro de gravidade humano fica mais ou menos  quatro dedos abaixo do umbigo, e quando andamos o nosso centro de gravidade se mantém paralelo ao chão, com os bonecos deve ser igual o centro de gravidade deve guiar a movimentação do boneco e se ele deixar de ficar paralelo ao chão o boneco estará desequilibrado. Aqui eu devo salientar a importância de observarmos o eixo de equilíbrio do boneco que deve se manter reto e perpendicular ao horizonte, devemos ter o cuidado de o boneco não andar inclinado com a cabeça para frente ou para tráz.

Ponto de visão e ponto pensante são respectivamente os olhos e o cérebro do boneco, com isso definido temos a cabeça. O olhar talvez seja a parte mais importante da manipulação, o olhar do boneco é quem determina todas as suas reações, um detalhe importante aqui é sobre foco, o olhar do boneco deve determinar pra onde o público vê, e a primeira coisa que devemos ter cuidado é pra não rivalizar o olhar do manipulador com o do boneco, o olhar do manipulador será sempre mais chamativo que o do boneco e por isso devemos ter absoluto controle pra onde está olhando e ficar com o boneco sempre em vista.

Nenhuma regra é absoluta, e existem situações em que elas devem sim ser quebradas, mas elas são uma boa base de aprendizado e só a experiência vai lhe dizer quando elas devem ser respeitadas ou abandonadas.

Por hora eu fico aqui, como sempre as perguntas devem ser feitas nos comentários.

Até a próxima.

Tutorial: Criação de bonecos – parte 1

23/11/2010

O artigo mais visitado deste blog é de longe  “Tipos diferentes de manipulação”, pensando nisso e com o espírito de compartilhar informações tão presente no mundo open source, resolve iniciar uma série de tutoriais sobre como fazer bonecos de animação.

Já aviso que não pretendo postar isso regularmente, vou postar conforme me der vontade e se tiver algum feadback, se ficar alguma dúvida o espaço de comentários é o canal direto.

Começando:

Antes de se fazer um boneco e decidir de qual tipo será, é importante pensarmos em qual será a sua utilidade. Porque um boneco? Existe uma justificativa dramatúrgica para isso? Alguma pesquisa estética?

Ao responder estas perguntas, você estará não apenas decidindo por um boneco, mas já começa a planejar o visual e linha de interpretação do espetáculo.

Ok, temos um porque, já sabemos que história queremos contar, resta decidir qual técnica será usada, este questionamento em alguns casos são óbvios, muitos bonequeiros são especialistas em uma técnica, mas alguns preferem ir pelo caminho da pesquisa.

Sobre isso há que se fazer algumas considerações. O especialista, domina as minúcias da manipulação daquele tipo de boneco e sem dúvida será mais virtuose do que aquele que não se atém a uma técnica e isto pode ser muito interessante, por outro lado pesquisar diferentes técnicas e até criar a sua própria permite a renovação da arte de animação e aprofunda o entendimento do diálogo palco-platéia.

Esculpindo em isopor:

Uma técnica muito usada na construção de diferentes tipos de bonecos é a escultura em isopor.

O isopor é bom, porque é fácil de ser trabalhado e seu custo é relativamente barato, por outro lado é importante saber que se trata de um produto tóxico cortar o isopor já é toxico, queimá-lo é ainda mais, então é recomendado o uso de máscará de proteção.

Materiais:


Caneta de retro-projetor ou pincel atômico:

Para desenhar no isopor e saber onde cortar.

 

 

 

 

Lixas

Para acabamento e detalhes.

 

 

 

 

Estiletes

É a nossa ferramenta principal, fazemos a maioria dos cortes com ela por isso é bom ter a mão um conjunto de lâminas sobressalentes, pois é importante mantê-la afiada.

Dica: Não assopre o isopor que fica na lâmina pois a saliva oxida e diminui a vida útil da lâmina.

 

 

 

Escova de aço ou pregos

É muito útil para nivelar, aprofundar, arredondar peças grandes.

 

 

 

Serrote

Existem vários tipos com cortes diferentes, serve pra cortar peças grandes.

 

 

 

 

Cortador de isopor

Existem de vários tamanhos tanto para peças grandes até pequenos pirógrafos para detalhes, trata-se de um fio metálico que é aquecido ao receber a passagem de uma corrente elétrica, ao entrar em contato com o isopor o fio o queima permitindo cortes rápidos.

 

 

 

Projeto:

A primeira coisa a ser feita é um projeto das peças que serão esculpidas uma cabeça? duas mãozinhas? para isso façam desenhos, não importa se você é péssimo desenhista a idéia aqui é ajudá-lo a visualizar a peça final.

Perfil:

Depois de ter o esboço da peça é preciso desenhar as vistas superior e lateral da peça, isso o ajudará a ver os excessos de isopor que podem ser cortados.

Dependendo do tamanho da peça e da dificuldade você pode desenhar o perfil diretamente sobre a chapa/bloco de isopor ou criar um perfil em papel.

Depois de cortar fora o excesso já fica bem mais fácil visualizar o boneco, nesta parte o cortador de isopor é muito útil.

Aí então você vai esculpindo as formas e aos poucos dando forma a peça, uma dica boa é sempre usar a caneta de retro quando estiver em dúvida linhas guias também ajudam.

Primeiro você deve esculpir formas brutas, quadradonas conforme for desmistificando a figura vc vai dando detalhes usando a lixa ou dependendo da situação a escova de aço para deixar as formas mais orgânicas.

Depois de esculpido você deve vir com a lixa dando um acabamento em toda a peça.

A parte da escultura termina aqui, o amarelo que vc vê na foto é Poliuretano ou PU sólido que é muito usado para reparos ou juntar peças.

Depois de esculpido vc deve empapelar, dar acabamento em massa ou fibrar (isto será abordado mais profundamente em outro tutorial).

Depois vem a pintura

E aí é curtir os louros.

Os bichos e a Olga

19/12/2009

Participação da Cia. Stromboli no programa da apresentadora Olga Bongiovani na TV Aparecida.

  Este artigo foi feito por Paulo Carvalho.

Tipos diferentes de manipulação

04/06/2009
  Opá, artigo da semana super atrasado, peço desculpas mas foi uma correria, pra compensar vou escrever bastante.

  E o tema novamente é teatro de animação, pra começar vou fazer um artigo explicativo sobre os diferentes tipos de animação, para que todos saibam do que eu estou falando em futuros artigos vamos lá:

  O conceito atual de teatro de animação abrange máscaras, bonecos e formas animadas.

  Máscaras

    mascaraAs máscaras são o que o nome mesmo indica máscaras, como as da comédia dell’arte, teatro grego, palhaço e tudo mais, aí podemos falar também de mascara fácial, mas o papo começa a ficar confuso e nem todas as categorias que citei são normalmente aceitas como teatro de animação, isto pode render uma longa discussão e seria assunto pra outro artigo. O importante aqui é saber que máscaras fazem parte do universo do teatro de animação.

  Formas Animadas.

Cena do espetáculo Zoo-ilógico da Cia Teatro das Coisas

Cena do espetáculo: "Zoo-ilógico" da Cia Teatro das Coisas

Aqui se encaixam toda a manipulação feita com elementos que não são inicialmente criados para serem animados, como uma vela, um balde, uma bola, etc.

  Um bom exemplo de grupo que trabalha com teatro de objetos é a Cia. Teatro das coisas formado pelo Henrique Sitchin e Verônica Gerchman, da Cia. Truks e Cláudio Saltini, da Saltini Produções.

 

 

 

Bonecos

Bom aqui temos os bonecos propriamente dito e temos uma infinidade de técnicas que utilizam-se de bonecos diferentes. Eu vou listar algumas destas técnicas:

Teatro de Sombras

Cena do espetáculo: "Albertinho O Menino Voador" da Cia. Luzes e Lendas.

Cena do espetáculo: "Albertinho O Menino Voador" da Cia. Luzes e Lendas.

Muitos acreditam que esta é a técnica mais antiga do teatro de animação, e consiste em contar histórias utilizando a projeção da sombra de bonecos, objetos e pessoas. Em espetáculos contemporâneos, contamos com a utilização de cores na projeção além de multiplas telas o que gera um efeito muito dinâmico.

 

Fantoches – Bonecos de luva

Boneco do es petáculo: "Shishi, O Comilão" do grupo Miyashiro Teatro de Bonecos

Boneco do espetáculo: "Shishi, O Comilão" do grupo Miyashiro Teatro de Bonecos

Fantoches são como conhecemos os bonecos de mão ou luva, no Brasil e é o tradicional boneco de vestir com a mão, é um dos tipos de bonecos usados no Mamulengo, forma popular tradicional de teatro de bonecos, existente em algumas regiões do brasil.

 

 

 

 

 

  Marionetes

 

Cena do espetáculo: " O Casamento da Baratinha" da Cia. Stromboli.

Cena do espetáculo: " O Casamento da Baratinha" da Cia. Stromboli.

São os bonecos de fio, sendo que a parte onde são pendurados os fios é chamado entre outros nomes de avião. É uma técnica muito antiga e já foi utilizada inumeras vezes para montagens de óperas com bonecos. É o tipo de boneco utilizado no espetáculo “O Casamento  da Baratinha” da Cia. Stromboli da qual faço parte.

 

Luva Chinesa

Cena do espetáculo: "Cadé Meu Herói" do grupo Sobrevento

Cena do espetáculo: "Cadé Meu Herói" do grupo Sobrevento

É uma variação chinesa do fantoche, sendo que aqui o boneco além de ter pés possui uma incrível gama de movimentos resultante da forma como o boneco é construído.

O grupo sobrevento tem no espetáculo “Cadê Meu Herói” uma pesquisa muito interesante desta técnica.

 

Puppi

Cena do espetáculo: "Orlando Furioso" do grupo Sobrevento.

Cena do espetáculo: "Orlando Furioso" do grupo Sobrevento.

Esta uma técnica que se utiliza de varas para manipular o boneco por cima, é de origem italiana da região da Sicília e estes bonecos contam sempre histórias de cavalaria.

Novamente o grupo Sobrevento é inovador ao utilizar está técnica no espetáculo” Orlando Furioso”.

 

 

 

 

 

  Bonecos de Vara

Cena do espetáculo "Um Baú de Fundo Fundo" do Giramundo.

Cena do espetáculo "Um Baú de Fundo Fundo" do Giramundo.

São bonecos que como o próprio nome já diz são manipulados por vara ou haste.

 

 

 

 

 

Marrote – Muppet

Bonecos do programa: "Cocoricó"

Bonecos do programa: "Cocoricó"

Marrote ou  Muppet é aquele tipo de boneco em que se coloca as mão dentro para fazer a manipulação da boca como o Júlio do progrma “Cocoricó” da Tv Cultura.

 

 

 

 

Manipulação Direta

Cena do espetáculo "Vovô" da Cia. Truk's.

Cena do espetáculo "Vovô" da Cia. Truk's.

Nesta técnica o animador pega diretamente no boneco para fazer a manipulação sem utilizar fios ou varas, logo o animador fica aparente no palco. É um tipo de animação que se inspira na técnica do “Bunraku”, tipo tradicional de teatro de animação Japonês.

 

 

 

 

Kuruma Ningyo

 

Exemplo de manipulação do Kuruma Ningyo

Exemplo de manipulação do Kuruma Ningyo

Está é outra técnica de manipulação tradicional japonesa, mas diferente do “Bunraku” que normalmente utiliza três manipuladores por boneco, aqui um único manipulador trabalha em um boneco, para isso ele  se utiliza de um carrinho, que é um pequeno banco em forma de caixa com rodas, para se locomover e assim poder usar os pés na manipulação do boneco. 

 

 

  Bom estas são algumas das técnicas utilizadas no teatro de animação, se procurar vocês podem achar bons vídeos de manipulação na internet, qualquer dia faço uma seleção e posto aqui, procurem saber também dos espetáculos mencionados, vale muito a pena.

  Este artigo foi feito por Paulo Carvalho.