Archive for junho \29\UTC 2009

Trilogia Saura-Gades.

29/06/2009

  Carlos Saura grande cineasta espanhol junto com Antônio Gades, bailarino, sendo um dos principais nomes da história da dança flamenca, morto em 2004, nos presentiaram com esta belíssima trilogia, obrigatória para todos que gostam de um bom cinema e de dança.

Bodas de Sangue 

Tudo começa com “Bodas de Sangue”,  filme de 1981, que é a transposição para a tela do balé criado por gades em 1974, mas não se trata aqui apenas de um espetáculo filmado, Saura tem todo um apuro na linguagem cinematográfica, as tomadas de câmera e a montagem são muito interessantes e nos dão um filme vibrante, neste filme não há falas, pelo menos após a história de Lorca efetivamente começar, já que nos é mostrado toda a preparação dos bailarinos antes de se iniciar o drama, e esta ausência de diálogos permite concentrarmo-nos na força dos movimentos da dança, que passam todas as emoções da trama forma absolutamente envolvente.

Carmem

  Neste filme, de 1983, nos é mostrado um elenco de uma companhia de dança, montando o espetáculo Carmem, com base na ópera de Bizet, aqui Gades interpreta a sí próprio, como coreógrafo e protagonista do drama, que aos poucos se mistura com sua própria vida e uma Carmem faz de sua vida um vendaval emocional. Nesta película assim como na anterior temos o uso da meta-linguagem como elemento importante para o filme, o que resalta uma apresentação com elementos brechtinianos, isto é aliás uma marca presente em toda trilogia.

Amor Bruxo

  Dos três este é o único fime que nos apresenta a história diretamente, sem mostrar a preparação do elenco, como em “Bodas de Sangue”, ou uma trama paralela como em “Carmem”, aqui o filme conta a história, baseada na peça de Manuel de Falla, sobre um cigano que se apaixona por uma mulher assombrada pelo fantasma do ex-marido, mas a meta-linguagem está presente na cenografia, o cenário é todo construído como se fosse de uma peça teatral, utilizando-se inclusive de um cliclorama, o que gera efeitos belíssimos.

  Bom fica a dica destes ótimos filmes e aproveitando para indicar também o filme “Goya” do mesmo diretor.

  Este artigo foi feito por Paulo Carvalho.

Anúncios

Dia 20 de Junho

22/06/2009

  Dia 20 de junho, no último sábado, rolou mais uma edição do “Projeto 8”, a noite foi super animada e contou com a participação de muitos artistas, destaque pro pessoal do grafite que fizeram dois painéis ali no dia, durante o evento, e também pra dança côco, que realmente fez o bar dançar junto, é este tipo de interação e troca que buscamos no projeto.

  Não temos ainda a data do proximo evento, mas antes de um evento com público, queremos fazer um sarau com debate, só com os artistas, para além de melhorarmos as trocas e fomento mútuo dos artistas, também levantarmos questões que acreditamos ser de todos, como por exmplo: “a dificuldade de se fazer arte num mundo em que tudo é mercadoria e a necessidade de pagar o aluguel bate na porta”.

  Agora seguem as fotos:

Latinhas do Cispeu.

Latinhas do Cispeu.

 

Foto de Rafael Sales

Foto de Rafael Sales

 

Pintura do Piercarlo Romano

Pintura do Piercarlo Romano

 

Rapaz (eu vou por seu nome) do Studio Tarja Preta fazendo painel de grafite.

Rapaz (eu vou por seu nome) do Studio Tarja Preta fazendo painel de grafite.

 

Hildes Sales fazendo painel de grafite.

Hildes Sales fazendo painel de grafite.

 

Visão da exposição.

Visão da exposição.

 

Instalaçõ de Bonifácio Feitosa

Instalaçõ de Bonifácio Feitosa

 

Trabalho de Edel Vecci e Vini Jovino.

Trabalho de Edel Vecci e Vini Jovino.

 

Pintura de Elis Sugaya

Pintura de Elis Sugaya

 

Trabalho de Marcelo Gerace.

Trabalho de Marcelo Gerace.

 

Maurício Gerace Trio.

Maurício Gerace Trio.

 

Seu Jeremia.

Seu Jeremia.

 

Bincantes da Roda.

Bincantes da Roda.

 

Samanta Dudalski.

Samanta Dudalski.

 

Olivia Pontes.

Olivia Pontes.

Este artigo foi feito por Paulo Carvalho.

O Lutador

16/06/2009

  Esta semana assisti ao filme “O Lutador”(The Wrestler), filme marcado pela 200px-The_Wrestler_posteratuação de Mickey Rourke, cuja história de vida, dizem, se confunde com a do personagem, o filme é ótimo, e a atuação de Rourke realmente mereceu o Globo de ouro que recebeu, bem como a indicação ao Oscar.

  O filme conta a história de Randy “The Ram” Robinson, um lutador profissinal de luta-livre, sim aquelas lutas combinadas com sujeitos gigantes pulando um sobre o outro, eu particularmente acho estas lutas muito engraçadas, mas o filme em si é sério, aliás bem sério, Randy já é um lutador veterano e logo ao início do filme sofre um infarto e faz um ponte de safena, o que impossibilita-o de continuar lutando, é importante resaltar que as lutas que Randy enfrenta não são mais tão gloriosas como no ápice de sua carreira, ao contrário são lutas realizadas em clubes locais, sem transmisão ao vivo, ou de qualquer tipo, é como o cara que jogou na seleção terminar a carreira em um time de várzea.

  Mas isto é tudo que Randy tem, sua vida pessoal é com o perdão da má palavra, “uma bosta”, não tem família ou namorada e seus amigos são os colegas de ringue ou as crianças do bairro onde mora, além de viver sempre sem grana.

  Mas aqui vemos novamente que o ‘Loser” americano é muito mais interresante que o “Winer”, Randy com toda a sua roupa colorida é muito mais humano que o gerente do supermercando onde trabalha pra completar a renda.

  Uma cena que gostei muito é quando Randy em um momento de solidão chama um menino da vizinhança para jogar video-game com ele, um nintendinho velho de 8 bits, com um jogo em que o próprio randy estrela, nota: este jogo, criado para o filme, funciona de verdade em um video-game, o menino joga com Randy, ao mesmo tempo que comenta de “Call of Duty 4”, um jogo de guerra, Randy faz uma cara que ao mesmo tempo é de desolação e confusão perante o comentário do garoto, sem perceber ele acabou de humilhar Randy, até porque nosso herói é o próprio video-game, velho e esquecido, mas que já teve seus dias de glória, e quando ele tem um momento de triunfo ganhando do menino no jogo, o garoto simplesmente se cansa e sai deixando Randy novamente só.

  Aliás solidão é uma constante no filme chega a ser sufoante.

  Bom fica a dica deste filme pra quem quiser conferir.

  Lembrando sábado agora, dia 20 de junho, tem evento do 8 no Bar do Santa, espero vocês lá, mais informações: www.projeto8.com , hoje fomos lá instalar a iluminação pra exposição, “Que Ttrabalho!”

  Este artigo foi feito por Paulo Carvalho.

Atualizações no site

14/06/2009

  Acaba de sair mais atualizações no site do projeto8, desta vez temos uma nova galeria de artes plástica do artista Piercalo Romano e também o texto sobre o artista Maurício Gerace.

  Este artigo foi feito por Paulo Carvalho.

Apresentações do evento do dia 20 de junho

11/06/2009

  Pessoal segue a lista dos artistas que vão se apresentar no próximo evento do “Projeto 8”.

  Lembrando que o evento ocorre dia 20 de junho sábado a partir das 20h00, no “Bar do Santa”, Rua: Fidalga, 330.
 

Musica:

Maurício Gerace Trio Sambossa

Artes Plásticas:

Anderson Jovino
Bonifácio Feitosa
Edel Vecci
Elis Sugaya

Licas Nobre
Marcelo Gerace
Olivia Pontes
Piercarlo Romano

Vini Jovino

 

Fotografia:

Rafael Sales

 

Dança:

Brincantes da Roda
Olivia Pontes
Samanta Dudalski
 

Grafite:

Cispeo
Hildes Sales
Studio Tarja Preta

 

Este artigo foi escrito por Paulo Carvalho.

A Pedra e o Lago

09/06/2009

  Hoje vou falar de outro trabalho em que estou envolvido, “A Pedra e o lago”, é um monólogo da poetisa Ludmila Saharovsky, e sendo ela poetisa, o texto é um drama poético.

  Neste espetáculo, eu cumpro a função de Diretor, trata-se de um monólogo, em que a personagem passa pelo turbilão emocional, que se processa em seu interior, após perder um grande amor.

  Além da atriz, Marilda Carvalho, o espetáculo também conta com a participação da bailarina Cristiane Azevedo, que faz algumas intervenções durante o espetáculo.

  Segue agora alguns crôquis de figurinos, agradecimentos a Márcia que foi quem fez estes desenhos, espero que gostem.

Este é o Figurino da Atriz.

Este é o figurino da atriz.

 

Este é o primeiro figurino da bailarina

Este é o primeiro figurino da bailarina.

 

Este é o segundo figurino da bailarina.

Este é o segundo figurino da bailarina.

 

  É isso, quem quizer conhecer um puco mais da Ludmila neste site tem um material bacana: http://www.ocaixote.com.br/livraria/livro_saharovsky.html

Este artigo foi feito por Paulo Carvalho.

O Casamento da Baratinha estréia no Teatro da Vila

04/06/2009

  Pessoal, o espetáculo do qual faço parte estréia neste domingo no teatro da vila, esta primeira apresetação será gratuita.

  Segue agora a divulgação do espetáculo:

barata

O casamento da Baratinha reestréia com apresentação gratuita no domingo dia 07/06/2009 às 11:00 no Teatro da Vila

 

Teatro de marionetes com a Cia. Stromboli

 

O espetáculo, de José Rubens Siqueira, conta a história de uma Baratinha que quer casar, a fim de encontrar o marido ideal investiga entre diversos bichos; jacaré, sapo, carneiro, macaco e rato, manipulados por João Grembecki e Paulo Carvalho. A Baratinha (Caru Lima) tem como conselheira uma Coruja, com quem discute aspectos de sua própria identidade.
O espetáculo tem música de Fernando Mastrocolla e Jéssica Makino, com letras clássicas como: O Sapo não lava o pé, Quem quer casar com a senhora Baratinha, Carneirinho Carneirão, entre outras, cantadas ao vivo pelos atores.
Ao induzir a criança a investigar se seu futuro “marido” (no sentido de parceiro, companheiro) fala a mesma língua, esse conto infantil atende a uma necessidade psicológica, arquetípica, muito profunda: a questão da identidade pessoal.
Esta produção da Cia. Stromboli foi premida pelo Programa de Ação Cultural – PAC e pelo Prêmio Estímulo Flávio Rangel. Estreou no Teatro Santa Cruz, e realizou temporadas no SESC Vila Mariana e Sérgio Cardoso.

_________________________________________

CIA. STROMBOLI

A Cia. Stromboli foi criada em 1996, por João Grembecki e Tatiana Cavaçana para estudo e desenvolvimento do teatro de animação, o primeiro projeto envolvia a criação de figuras planas articuladas.

A partir de 1998, houve uma grande diversificação de técnicas: bonecos de vara, sombra, luva, mamulengos, ventríloquos, fantoches, figuras gigantes e máscaras, passaram a ser desenvolvidos.

O passo seguinte, e inevitável, foi a mistura dessas diferentes técnicas para a criação de outras, como a que chamamos “varionete” que são marionetes com varas.

        Paralelamente ao estudo de diferentes técnicas de construção, desenvolveu-se uma pesquisa com materiais, e quando o látex foi introduzido novos bonecos surgiram. A utilização de títeres e figuras animadas estende-se também à outras mídias, como cinema e vídeo. O mais recente foi o projeto para o premiado vídeo Tyger, de Guilherme Marcondes.

            O último projeto, A Bela e a Fera, de 2008, conta com uma dramaturgia muito consistente que interessa não só a crianças, mas à adultos também, bonecos de 1,30 m de altura com mecanismos e proposta de manipulação inovadores foram desenvolvidos e podem ser vistos no blog: stromboli.multiply.com (acesso rápido) e no sitewww.stromboli.com.br (acesso lento).

               Prêmios: Programa de Ação Cultural  – PAC (A Bela e a Fera, Projeto Coca-Cola no Teatro (A Flauta Mágica), Prêmio Estímulo Flávio Rangel (A Metamorfose de Kafka e O casamento da Baratinha, Programa de Ação Cultural – PAC (O casamento da Baratinha).

__________________________________________

SERVIÇO

ESPETÁCULO: O casamento da Baratinha

GÊNERO: teatro de bonecos

ONDE: Teatro da Vila – Rua Jericó, 256 – Vila Madalena

DIAS e HORA: domingos às 11:00 horas de 07 a 28 de junho.

DURAÇÃO: 45 minutos

RECOMENDAÇÃO: a partir de 3 anos

INGRESSOS: gratuito no dia 07/06 (retirar na bilheteria com 1 hora de antecedência, R$ 20,00 de 14 a 28/06 (mês de junho todos pagam meia-entrada R$ 10,00)

PROMOÇÃO: no mês de junho todos pagam meia-entrada (R$ 10,00)

INFORMAÇÕES: stromboli.multiply.com

________________________________________

FICHA TÉCNICA

Direção e texto: José Rubens Siqueira

Bonecos: João Grembecki

Elenco: Caru Lima, Paulo Carvalho e João Grembecki

Fotos: Tatiana Cavaçana

Produção Cia. Stromboli

 

www.stromboli.com.br

stromboli.multiply.com

 

Este artigo foi feito por Paulo Carvalho.

Inauguração do espaço do Sobrevento

04/06/2009

  Nesta segunda-feira, 1º de junho, em uma noite gelada, aconteceu a inauguração do novo espaço do grupo Sobrevento, trata-se de um galpão amplo em que está montado um palco com treliças.

  A festa foi muito gostosa e estavam muitas pessoas bacanas lá, como Ana Maria Amaral, o pessoal da Cia. Truk’s, e outros.

  Aliás uma coisa muito legal no meio de teatro de animação é o carinho e cuidado que os animadores tem entre sí, sempre com muita generosidade!

  Desejamos boa sorte ao grupo Sobrevento nesta nova empreitada.

  O espaço fica na Rua Coronel Albino Bairão, Nº 42, próximo ao metrô Bresser-Moóca e estará em cartaz entre os dias 5 de junho a 5 de julho o espetáculo “Orlando Furioso”, sextas e sábados, às 20h00, domingos às 19h00, e entre os dias 6 de junho a 4 de julho o espetáculo “O Anjo e a Princesa” aos sábados às 11h00.

Mais informações: http://www.sobrevento.com.br/

Este artigo foi feito por Paulo Carvalho.

Tipos diferentes de manipulação

04/06/2009
  Opá, artigo da semana super atrasado, peço desculpas mas foi uma correria, pra compensar vou escrever bastante.

  E o tema novamente é teatro de animação, pra começar vou fazer um artigo explicativo sobre os diferentes tipos de animação, para que todos saibam do que eu estou falando em futuros artigos vamos lá:

  O conceito atual de teatro de animação abrange máscaras, bonecos e formas animadas.

  Máscaras

    mascaraAs máscaras são o que o nome mesmo indica máscaras, como as da comédia dell’arte, teatro grego, palhaço e tudo mais, aí podemos falar também de mascara fácial, mas o papo começa a ficar confuso e nem todas as categorias que citei são normalmente aceitas como teatro de animação, isto pode render uma longa discussão e seria assunto pra outro artigo. O importante aqui é saber que máscaras fazem parte do universo do teatro de animação.

  Formas Animadas.

Cena do espetáculo Zoo-ilógico da Cia Teatro das Coisas

Cena do espetáculo: "Zoo-ilógico" da Cia Teatro das Coisas

Aqui se encaixam toda a manipulação feita com elementos que não são inicialmente criados para serem animados, como uma vela, um balde, uma bola, etc.

  Um bom exemplo de grupo que trabalha com teatro de objetos é a Cia. Teatro das coisas formado pelo Henrique Sitchin e Verônica Gerchman, da Cia. Truks e Cláudio Saltini, da Saltini Produções.

 

 

 

Bonecos

Bom aqui temos os bonecos propriamente dito e temos uma infinidade de técnicas que utilizam-se de bonecos diferentes. Eu vou listar algumas destas técnicas:

Teatro de Sombras

Cena do espetáculo: "Albertinho O Menino Voador" da Cia. Luzes e Lendas.

Cena do espetáculo: "Albertinho O Menino Voador" da Cia. Luzes e Lendas.

Muitos acreditam que esta é a técnica mais antiga do teatro de animação, e consiste em contar histórias utilizando a projeção da sombra de bonecos, objetos e pessoas. Em espetáculos contemporâneos, contamos com a utilização de cores na projeção além de multiplas telas o que gera um efeito muito dinâmico.

 

Fantoches – Bonecos de luva

Boneco do es petáculo: "Shishi, O Comilão" do grupo Miyashiro Teatro de Bonecos

Boneco do espetáculo: "Shishi, O Comilão" do grupo Miyashiro Teatro de Bonecos

Fantoches são como conhecemos os bonecos de mão ou luva, no Brasil e é o tradicional boneco de vestir com a mão, é um dos tipos de bonecos usados no Mamulengo, forma popular tradicional de teatro de bonecos, existente em algumas regiões do brasil.

 

 

 

 

 

  Marionetes

 

Cena do espetáculo: " O Casamento da Baratinha" da Cia. Stromboli.

Cena do espetáculo: " O Casamento da Baratinha" da Cia. Stromboli.

São os bonecos de fio, sendo que a parte onde são pendurados os fios é chamado entre outros nomes de avião. É uma técnica muito antiga e já foi utilizada inumeras vezes para montagens de óperas com bonecos. É o tipo de boneco utilizado no espetáculo “O Casamento  da Baratinha” da Cia. Stromboli da qual faço parte.

 

Luva Chinesa

Cena do espetáculo: "Cadé Meu Herói" do grupo Sobrevento

Cena do espetáculo: "Cadé Meu Herói" do grupo Sobrevento

É uma variação chinesa do fantoche, sendo que aqui o boneco além de ter pés possui uma incrível gama de movimentos resultante da forma como o boneco é construído.

O grupo sobrevento tem no espetáculo “Cadê Meu Herói” uma pesquisa muito interesante desta técnica.

 

Puppi

Cena do espetáculo: "Orlando Furioso" do grupo Sobrevento.

Cena do espetáculo: "Orlando Furioso" do grupo Sobrevento.

Esta uma técnica que se utiliza de varas para manipular o boneco por cima, é de origem italiana da região da Sicília e estes bonecos contam sempre histórias de cavalaria.

Novamente o grupo Sobrevento é inovador ao utilizar está técnica no espetáculo” Orlando Furioso”.

 

 

 

 

 

  Bonecos de Vara

Cena do espetáculo "Um Baú de Fundo Fundo" do Giramundo.

Cena do espetáculo "Um Baú de Fundo Fundo" do Giramundo.

São bonecos que como o próprio nome já diz são manipulados por vara ou haste.

 

 

 

 

 

Marrote – Muppet

Bonecos do programa: "Cocoricó"

Bonecos do programa: "Cocoricó"

Marrote ou  Muppet é aquele tipo de boneco em que se coloca as mão dentro para fazer a manipulação da boca como o Júlio do progrma “Cocoricó” da Tv Cultura.

 

 

 

 

Manipulação Direta

Cena do espetáculo "Vovô" da Cia. Truk's.

Cena do espetáculo "Vovô" da Cia. Truk's.

Nesta técnica o animador pega diretamente no boneco para fazer a manipulação sem utilizar fios ou varas, logo o animador fica aparente no palco. É um tipo de animação que se inspira na técnica do “Bunraku”, tipo tradicional de teatro de animação Japonês.

 

 

 

 

Kuruma Ningyo

 

Exemplo de manipulação do Kuruma Ningyo

Exemplo de manipulação do Kuruma Ningyo

Está é outra técnica de manipulação tradicional japonesa, mas diferente do “Bunraku” que normalmente utiliza três manipuladores por boneco, aqui um único manipulador trabalha em um boneco, para isso ele  se utiliza de um carrinho, que é um pequeno banco em forma de caixa com rodas, para se locomover e assim poder usar os pés na manipulação do boneco. 

 

 

  Bom estas são algumas das técnicas utilizadas no teatro de animação, se procurar vocês podem achar bons vídeos de manipulação na internet, qualquer dia faço uma seleção e posto aqui, procurem saber também dos espetáculos mencionados, vale muito a pena.

  Este artigo foi feito por Paulo Carvalho.